Por democracia, pelo fim da repressão, Central Sindical brasileira apoia estudantes de Hong Kong

Iniciado há mais de duas semanas, o levante popular em Hong Kong ainda vive situações de tensão e repressão policial, com espancamento de manifestantes e prisões arbitrárias.

 

Os estudantes exigem democracia no modelo eleitoral vigente, submisso ao regime comunista chinês, e seguem nas ruas inspirados em mobilizações como o Occupy Wall Street.

 

A CSP-Conlutas enviou moção de apoio ao estudantes e exige o fim imediato da repressão e interferência política do regime chinês. Além de garantias de livre manifestação, por democracia já!

 

Confira abaixo a nota de apoio em português e inglês:

 

Moção de apoio à luta por democracia em Hong Kong

 

A Central Sindical e Popular CSP-Conlutas, no Brasil, que agrega diversos sindicatos e movimentos populares, bem como de sem-terras e movimentos de moradia, expressa apoio e solidariedade à luta dos estudantes e trabalhadores de Hong Kong que estão em busca de democracia diante dos ataques perpetrados pelo governo chinês.

 

Este levante, confrontando a ditadura imposta pelo Partido Comunista Chinês, se dá contra o crescente controle exercido por Beijing, com o objetivo de impor, à força, uma “política de lealdade” em Hong Kong.

 

Em agosto, a China anunciou que a partir de 2017 o chefe do Executivo local poderia ser eleito por votação. No entanto, a população seria permitida a escolher apenas um dentre um grupo de candidatos previamente selecionados por um comitê sob controle do regime chinês.

 

Inspirados por outros movimentos que tomaram as ruas nos últimos anos, como o “Occupy Wall Street”, nos Estados Unidos, estudantes universitários em Hong Kong enfrentaram sol escaldante, muito spray de pimenta e bombas de gás, além de lutar contra as prisões arbitrárias de manifestantes e a intimidação da polícia, que age com truculência para tentar enfraquecer os protestos.

 

We reject with all our strength the escalating repression imposed by the Chinese government which wants to put an end to the streets cry for freedom, using the brute force.

 

Nós repudiamos veemente a escalada de repressão imposta pelo governo chinês, que deseja colocar um fim aos gritos por liberdade nas ruas, usando para isso força brutal.

 

Por fim, desejamos esclarecer um ponto: apesar da terminologia empregada, não existe regime comunista na China. E mais: um regime que realmente beneficia e assume a defesa dos interesses dos trabalhadores, estudantes e da maioria da população não pode prejudicar ou impedir o direito desses setores de se expressarem, de expressarem suas opiniões livremente e democraticamente.

 

 

- Por eleições em Hong Kong sem a interferência autoritária do regime chinês. Democracia Já!

 

- Pelo fim imediato da repressão e pela garantia de direitos democráticos e de manifestação ao povo de Hong Kong.

 

 

Setorial de Relações Internacional da CSP-Conlutas – Brasil

 

Leia a moção em inglês no site da Rede Internacional Sindical de Solidariedade e Lutas

 

 

show
 
close